terça-feira, março 24, 2009

Balão de ensaio: educação e tecnologia


Quem acompanha meu blog, deve lembrar do fato deste blogueiro educacional seguidamente falar sobre a questão entre o ideal e o possível, e que em educação nem sempre temos as condições ideais, mas que devemos trabalhar dentro de nossas possibilidades.
Bom, a notícia que reproduzo abaixo, extraída do portal Yahoo! Tecnologia, é a prova cabal de meu discurso, fundado na prática cotidiana.
Jovens estudantes, com quantia praticamente irrisória, conseguiram o feito de conseguir fazer fotos do planeta usando um balão e câmera com sensores. Vejam abaixo o conteúdo da notícia, provando que entre as condições ideais de estudo, pesquisa e trabalho e a criatividade, originalidade e ousadia, estas três últimas conseguem às vezes equilibrar o mesmo efeito doutras. Basta ter vontade e inventividade para conseguir maravilhas com o uso da tecnologia na educação, em todos os níveis. No ensino público, muitas vezes por conta da falta de recursos e equipamentos sofisticados, que existem de forma mais eficiente em escolas privadas, nem por isso deixa de acontecer projetos diversificados e diferenciados, graças ao despreendimento de alguns educadores e escolas.
Dadas as devidas proporções, que essa notícia sirva de exemplo e incentivo àqueles que esperam toda vida por condições ideais, enquanto outros ousam superando as próprias possibilidades, através de projetos caseiros que tornam-se universais.

Jovens enviam balão ao espaço e conseguem fotos aéreas da Terra (Sex, 20 Março 2009, por Stella Dauer):

O projeto custou menos de US$ 150 e ocupou apenas quatro adolescentes


Provando que nem só de tecnologia sofisticada e cara vive a ciência, um grupo de estudantes na Catalunha enviou um balão ao espaço, munido de uma câmera doméstica, para capturar imagens da Terra vistas do céu.
Gerard Marull Paretas, Sergi Saballs Vila, Marta­ Gasull Morcillo e Jaume Puigmiquel Casamort, quatro jovens entre 18 e 19 anos, estudantes da escola IES La Bisbal, tornaram o feito possível. O projeto não custou mais do que US$ 150, e envolveu apenas uma câmera doméstica, um resistente balão de borracha e alguns sensores de alta tecnologia.
Uma vez enviado ao espaço, o balão chagou a mais de 30 quilômetros de altura e se comunicava com a equipe de adolescentes através dos sensores, que enviavam informações ao Google Earth, serviço de mapas e localização da Google, noticiou o site Boing Boing .
“O balão que escolhemos foi inflado com dois metros cúbicos de gás Hélio e pesava apenas 1,5 quilos. Ele foi capaz de carregar os sensores e uma câmera digital Nikon que pesavam outros 1,5 quilos”, contou Marrul, líder da equipe. “Quando o lançamos às 9:10 da manhã, o ponto crítico foi observar se o balão ultrapassaria os 10.000 metros, altitude utilizada pelos aviões comerciais”, relatou.
Marrul continua a história: “Obtivemos relatórios enquanto o balão subia e mapeava seu progresso utilizando o Google Earth e um receptor de rádio embutido. Quando atingiu os 30 quilômetros de altitude, ele perdeu seu conteúdo e o equipamento retornou à Terra. Viajamos mais de 10 quilômetros para encontrar os sensores e o cartão da câmera, que ainda emitia sinal, mesmo após ter sido exposto a condições extremas”. Na estratosfera, a capa gasosa da Terra não filtra os chamados raios cósmicos, que costumam causar danos tanto a equipamentos como a organismos vivos.
“Estamos impressionados com nossos resultados, especialmente com as fotografias. Enviar nosso projeto caseiro, feito à mão, aos limites do espaço é incrível”, declarou emocionado Marull ao site Telegraph .

www.geek.com.br


Fonte: http://br.tecnologia.yahoo.com/article/20032009/7/tecnologia-jovens-enviam-balao-espaco-fotos.html

Observação: Imagem acima, extraída da internet, do endereço abaixo
http://apenasqueremexplodir.blogspot.com/
2008_06_01_archive.html

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home