quarta-feira, janeiro 21, 2009

O presidente globalizado e o sonho americano


"O mundo mudou e nós precisamos mudar com ele", uma das belas frases que o 44º presidente dos EUA, Barack Obama pronunciou em seu discurso inaugural.
Obama é um grande orador e a partir de agora poderá mostrar ao mundo a que veio.
Sou meio prudente nessas personificações do bem contra o mal, que a grande imprensa e o cinema passam ao público em geral, às vezes, tirando o foco para os verdadeiros atores, nos bastidores da História Universal da Infâmia (parafraseando o livro de Jorge Luis Borges). Assim como o W.Bush não é a face humana do mal e sim, quando muito, seu testa-de-ferro, como comentei em post's anteriores, não creio que Obama, por mais bem intencionado que possa estar, poderá solitariamente resolver os grandes problemas dos EUA e do mundo. Sua equipe terá muito trabalho. O papel de Obama será importantíssimo na tomada de consciência do próprio povo norte-americano e europeu, de que o mundo não é apenas o que seus interesses determinam, tão subliminarmente mostrado pelo cinema fast food e outros enlatados. Que o mundo está globalizado todos sabem, e a teoria do caos, pensada a partir da economia, hoje é na própria economia mais visível, pois o bater de uma borboleta financeira no Japão, pode convulsionar todo o resto do planeta sim.
Barack Hussein Obama (filho) é a prova visível de que realmente "o mundo mudou e nós precisamos mudar com ele", pois o novo presidente do EUA incorpora em si o branco, o negro, o africano, o árabe, a questão multiracial e multicultural. Muito já foi dito a respeito de sua vida, de sua oratória, de sua trajetória política, da inteligência, da classe, elegância, etc.
Com sua consciência ecológica, caberá mudar a consciência de seu povo, mas acima de tudo das empresas multi e trans-nacionais, que com seus métodos agressivos e poluidores põem em risco a sustentabilidade da vida no próprio planeta.
Obama terá um imenso desafio pela frente, mudando o modelo do sonho americano, que sempre incorporou o individualismo e certo esbanjamento, com supercarrões, poluidores e consumidores de combustíveis. Mudar o cifrão do peito do Superman é um imenso desafio. Mas tem outros maiores ainda: País que é o maior poluidor, e que se recusa a assinar o protocolo de Kyoto; que Bush chegou a dizer que não assinaria, pois tal situação colocaria em risco os empregos dos americanos. Em sua ótica desfocada, Bush preferiu arriscar a sobrevivência da humanidade, desde que não prejudicasse os empregos em sua terra, umbigo do mundo. Além disso, procurou o terrorista Osama e não achou até hoje; buscou armas de destruição em massa, no Iraque, mas ele próprio promoveu a destruição em massa no Afeganistão e Iraque, e apoiou a destruição de Gaza por Israel...
O mundo mudou há tempos, principalmentge após a Segunda Guerra Mundial, quando o padrão americano e seu sonho invadiu o resto do planeta, e muito do que estamos nos lamentando hoje é fruto dessa avalanche econômico-político-cultural. Muito da degradação política e econômica dos países do chamado Terceiro Mundo, iniciou com a Guerra Fria, a partir do final da II Guerra. Países tiveram seus governos democraticamente eleitos, derrubados por intervenções e abduções "alienígenas" que a história demonstrou.
O comunismo implodiu, com a queda do muro de Berlim e o fim da URSS. O capitalismo também implodiu, mas é mantido por aparelhos, graças as ações dos países mais ricos, para manter o dólar como modelo de troca internacional.
Obama propõe o voluntariado para uma cultura que é competitiva e individualista. Se conseguir mudar algo que faz parte da identidade de seu povo, conseguirá qualquer outra coisa. Como grande parte de seu eleitorado é composta de jovens (que acreditam que podem com seus atos mudar o mundo!), e sobre esses é possível ainda que "belas palavras" consigam obter resultados, tudo então é possível.
Obama personifica o sonho que Martin Luther King teve, mas ainda de forma tímida. Não podemos perder o foco que Obama foi eleito, não por ser negro, mas por personificar muito bem a mudança, o novo, o contraponto a Bush, que personificou em contrapartida o velho, o arcaico, o intransigente... Nessa luta do Bem contra o Mal, o mérito de Obama é, sendo um político novo, bom orador, inteligente e elegante, saber capitalizar para si a aura do bom moço, quase um superman. Mas só o tempo dirá a que veio...
Já dizia um poeta que "de boas intenções está calçado o caminho para o inferno".
Entre o novo e a novidade, ou melhor, entre a novidade e o de fato novo, há um bom caminho a ser percorrido. No Brasil, sabemos bem que políticos que se apresentam como o novo, não passam de novidades, pois nada de novo ou quase novo trazem ao ambiente político, salvo belos slogans, jogadas de marketing, muito discurso e pouca ação. A novidade traz boas intenções; o novo, boas ações...
Obama pertence ao mundo em que, por exemplo, no futebol e na economia, está mais claro, e que na política ainda está se descortinando: o mundo globalizado! Tendo como exemplo o futebol europeu, vemos clubes ingleses tendo como proprietários, milionários russos, sheikes árabes, etc., em que os jogadores nativos são minoria, enquanto a escalação dos mesmos é um verdadeiro selecionado mundial, com jogadores dos 5 continentes. Chelsea é clube inglês, de propriedade de milionário russo, com treinador brasileiro, e jogadores de várias nacionalidades.
A questão identitária (ou a também chamada identidade em trânsito) num mundo globalizado é algo também complexo, para ser analisada noutra postagem...
Enfim, nada melhor para um presidente globalizado, iniciar seu discurso e seu mandato com essa consciência de que "O mundo mudou e nós também precisamos mudar".
Que Obama possa ser de fato e de direito o novo e não apenas mais uma novidade, que a política, vira e mexe nos oferta, depois de uma experiência desastrosa.
Obama tem a seu favor essa tomada de consciência do povo de que a crise bateu à sua porta, e de que, paradoxal e redundantemente, sem mudanças nada mudará...
Se o mundo mudou, ter essa consciência da mudança e da necessidade de mudar já é um bom caminho a seguir. Que as belas palavras de Obama tornem-se belas ações, não apenas para sua terra mas para o mundo como um todo...

Primeiro discurso de Barack Obama

Observação: Imagem acima, extraída da internet, do endereço abaixo
http://pensaremburrece.wordpress.com/

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home