terça-feira, janeiro 15, 2008

A Educação na perspectiva do professor


Ontem estava lendo a edição impressa, e hoje fui acessar a edição on-line da mesma matéria para indicar aos visitantes do Letra Viva do Roig, e, em especial, aos educadores. Trata-se da matéria de capa da revista Nova Escola, edição novembro/2007, cujo título é A Educação, vista pelos olhos do professor que pode ser acessada clicando neste link. Sugiro a leitura de toda a reportagem para se ter uma visão da educação e seus desdobramentos na sociedade. Noutra postagem irei comentar alguns aspectos que achei interessante destacar.
A matéria é ampla (5 páginas) e traz diversidade de opiniões e de perspectivas.
A pesquisa foi feita por AMOSTRA de 500 professores das redes públicas municipais,estadual e federal, com IDADE de 25 a 55 anos.
TÉCNICA DE PESQUISA: Entrevistas individuais,com questionário estruturado,realizadas de 20 de junho a 19 de julho de 2007.
DISTRIBUIÇÃO REGIONAL 50% Sudeste 21% Nordeste 11% Norte 10% Centro-Oeste 8% Sul.
Abaixo, alguns tópicos para reflexão:
DE QUEM É A RESPONSABILIDADE PELA EDUCAÇÃO RUIM?
Uma das perguntas do questionário tinha 23 itens. Entre eles, a falta de didática e de metas de aprendizagem. Mas, na hora de listar os principais problemas do dia-a-dia dentro da sala de aula, os 500 professores entrevistados colocaram os seguintes três: a não-participação dos pais no dia-a-dia da escola, a desmotivação dos alunos e a indisciplina dentro da classe (e o primeiro está fora da sala).
Por que a família é vista tão mal? Ao comparar a escola pública com a particular, os professores dão algumas pistas: 72% dizem que quem leciona na rede pública faz também o papel de assistente social, enquanto apenas 3% apontam que quem está na privada tem essa mesma função (será mesmo?). O termo mais usado é sobreposição. Para 25% da amostra,“a escola está no lugar da família”. E outros 38% reforçam que, na escola pública,“o professor não ensina, mas ajuda o aluno a sobreviver”. Em outra resposta, 64% afirmam que o nível socioeconômico das crianças intervém no aprendizado (negativamente, no caso da pública, e positivamente, no caso da particular).
“As crianças são curiosas por natureza, mas só aprendem se tiverem espaço para a participação. E isso só existe quando há conversa, fala e argumentação e não um ambiente de apatia.”
Luis Carlos de Menezes Colunista de NOVA ESCOLA
“A sociedade mudou e, hoje, o papel de quem está à frente de uma sala de aula também é educar e dar carinho. Se todos perceberem que isso existe – e não é um bicho-de-sete cabeças –, a angústia diminui.”
Lino de Macedo Professor da Psicologia da USP
Observação: Imagem acima, extraída da internet, do endereço
http://populo.weblog.com.pt/arquivo/professor.jpg

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home