quinta-feira, janeiro 10, 2008

Um mundo sem fios


Notícia abaixo, extraída do portal Yahoo! Brasil, trata da tecnologia sem fio que trará uma revolução em lares e escritórios. Entretanto, embora não seja profundo conhecedor dessa tecnologia, creio que a interferência da freqüência de ondas eletromagnéticas no ser humano deverá ser observada, pois cada vez mais estamos todos expostos a diversas emissões silenciosas e invisíveis em nosso cotidiano, desde celulares e suas poderosas antenas, TVs, rádios, DVDs e toda a parafernália tecnológica que se incorporou a nossa vida como uma segunda pele. Não ter fios, por um lado elimina cabos e mais cabos, mas por outro lado, temo que essa exposição generalizada e continuada a uma freqüência eletromagnética, ainda que de baixa amplitude, que somada a todas as demais, poderá, quem sabe, nos causar a longo prazo algum transtorno. Que algum especialistas me conteste, por favor.
Quando leio essas notícias, lembro de alguns fragmentos de um conto meu, chamado A ESCAVAÇÃO, incluído no livro Realidade Virtual (2004), em que, inspirado em leituras de textos de escritores e cientistas, comentava nas entrelinhas que um dia, quem sabe, sejamos para alguma civilização futura, como os povos de Egito antigo, com suas construções enigmáticas. Vejam fragmento do conto A Escavação:
"(...) Parece que de tempos em tempos, de eras em eras o Homem evolui até a exaustão, se autodestruindo e voltando aos primórdios dos tempos (ao marco zero). Então, quando descobrem antigas civilizações - aparentemente mais avançadas do que à atual -, não entendem como estas puderam construir monumentos fabulosos. Talvez daqui a centenas de milhares de anos no futuro nossa civilização atual tenha perecido e uma nova tenha fundado suas cidades sobre as nossas contemporâneas. Daí algum explorador ou quem sabe um desavisado descubra monumentos antigos - do tipo: um enorme homem de braços abertos em forma de cruz, cabelos compridos e olhar angelical sobre o que fora um antigo morro; ou talvez uma imensa mulher com uma coroa na cabeça, um livro em uma das mãos e uma tocha na outra às margens de um mar extinto -, e nada entendam. Nossos restos mortais ao serem achados, para eles, os homens do futuro, sejam apenas múmias paralíticas ou paleolíticas. Vai depender muito da interpretação que os sábios derem ao que não entendam muito bem. Parece que existe uma regressão social, cultural e tecnológica a cada civilização que é descoberta, sempre mais avançada do que a nossa (...)".
Espero que tudo isso seja apenas licença poética de escritor, e que um dia não olhem para aquelas estranhas torres (de celular) e cheguem a hipótese de tratar-se de totens gigantes, que de quilômetros em quilômetros nossa civilização ergueu para algum estranho ritual pagão, que os homens do futuro não conseguirão entender...
Brincadeiras a parte, precisamos avançar tecnologicamente sem expor a população a riscos desnecessários. Progresso sem qualidade de vida é para mim retrocesso, e a história está aí para nos mostrar. Há que se progredir, pensando primeiro na sustentabilidade do homem e de seu meio ambiente. A Mãe Terra agradece.
Abaixo, link para a matéria sobre a tecnologia sem fio e os avanços que estão para em breve chegar ao nosso lar...

Tecnologia busca mundo sem fios

Observação: Imagem acima, colagem de minha autoria, feita a cerca de 8 anos atrás, como terapia ocupacional, para desestressar. Colagem feita a partir de recortes de revistas antigas, unindo tesoura e cola bastão, e escaneando o resultado final para um microcompuador. Embora pareça computação gráfica é apenas um bom e velho trabalho manual.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home