sábado, outubro 11, 2008

As Travessuras da Bruxa Fel: sessão final


Ontem de noite, pude assistir com a família a última sessão da peça infantil As Travessuras da Bruxa Fel, de minha autoria. Escrita entre o final de 2007 e início de 2008, teve sua estréia no dia 07 (olhe meu número mágico ai, escolhido alheio a minha vontade...). Não pude ver antes como ficou a adaptação do Grupo de Teatro Dupla Face, pois estavam viajando a trabalho. Tinha assistido, mês passado, a um ensaio da mesma no anfiteatro da FURG. Mas ver a versão final, com figurino, cenário (do talentoso José Rover) e a interpretação de Canrobert Brasil (Mágico Sol); Renata Dias (Bruxa Fel), Thiele Viega (Bruxa Mel) e Clarissa Moura (Bruxa Lua) foi uma emoção única. Depois de 60 minutos de espetáculo, sai com gostinho de "quero mais". Como falei aos presentes ao espetáculo, quando chamado por Can para o palco: "Ver as palavras criarem vida e os personagens terem vida própria além das próprias palavras é algo incrível para um autor".
Está de parabéns o Grupo de Teatro Dupla Face, não apenas pelo seu diretor Canrobert, as atrizes, o cenógrafo J. Rover, mas todo o pessoal que participa dos bastidores e dá suporte para que esse trabalho coletivo tenha o destaque e sucesso merecidos. É um privilégio imenso para mim poder contar com o talento dessa equipe para dar vida ao meu segundo texto teatral, dirigido ao público infantil. No primeiro, em 2006, "E agora Betinha?", também o Dupla Face encenou, repetindo a dose na 11ª Festa do Mar.
Agora, que fui aprovado pela segunda vez, já aceitei um terceiro desafio de pensar em um novo texto, para estréia sempre na Semana da Criança. Trabalhar com o imaginário, tanto de crianças como de adultos, e perceber o riso de ambos, é algo que incentiva a continuar explorando esse filão.
Conversei com Can da possibilidade de buscar patrocínio, através da Lei de Incentivo à Cultura, para levar espetáculos como esse, como temática ambiental, pedagógica e social às escolas e aos bairros. Já recebi convite de duas escolas para escrever pequenos textos, quase esquetes, para serem encenados pelos próprios alunos com a supervisão das professoras. O grande problema é arranjar tempo para tudo isso, tranalhando e estudando (e estando em processo de dissertação de mestrado em Letras).
O próprio J. Rover, da TV Mar (TV a cabo, aqui de Rio Grande), também convidou-me para escrever esquetes para os integrantes da Turma da Alegria, para serem veiculados na programação da TV. Palavra puxa palavra, e atividades geram mais atividades.
A palavra escrita, em minha vida, tem diversas formas de expressão e significados. Poder transformar idéia em ideais, atividades em projetos, unindo o útil ao agradável é algo que serve de catarse e de objetivo de vida, além de auto-motivação para outras atividades. Sempre digo que quando projetos de trabalho (seja na área cultura, artística, educacional, etc.) são extensões do projeto maior de vida, tudo fica mais fácil de encaixar numa agenda cheia e desgastante. O que para muitos pode ser encarado como obrigação, para mim, quase sempre é uma terapia. A cada ano, mais desafios e compromissos acumulo (e têm momentos que desejo diminuir essa carga), mas atividades como essa me dão energia para enfrentar outras que virão.
Abaixo, link para a matéria no Jornal Agora, de Rio Grande-RS, sobre a peça:

Bruxa Fel conscientiza e diverte na semana da criança

Observação: Imagens acima, em SlideShow, da sessão das 20:30h, do dia 10/10/08, no Teatro Municipal de Rio Grande - RS - Brasil, da peça As Travessuras da Bruxa Fel.

4 Comments:

Blogger Marina said...

Puxa, que legal, Zé! Deve ter sido muito gratificante mesmo! Escrever para crianças não é fácil, algum dia talvez me atreva. hehe

Abraço!

02:40  
Blogger José Antonio Klaes Roig said...

Oi, Marina, é um desafio, mas gratificante quando vê o sorriso delas. Dá vontade de escrever mais e mais. Isos mesmo, se atreva, e não te arrependerás. O mundo mágico da infãncia é riquíssimo para ser trabalhado. Um abração, Zé.

21:02  
Blogger Robson Freire said...

Olá Amigo Zé Roig

Desculpa a falta de tempo, mas que maravilha deve ser ver uma idéia (palavras) tomar forma , corpo e vida bem na nossa frente. É amigo você realmente é um cara de muita sorte e talento.

Parabéns pela peça e uma sugestão torne-a de domínio público e poste-a no seu blog, sei que isso as vezes dói, mas sempre defendi que tudo que transforma a humanidade deve ser do mundo e o teatro transforma o mundo.

Parabéns mais uma vez e que eu tenha saúde e dinheiro para assistir a próxima com minha filha ai no Rio Grande.

Abraços do Amigo Carioca

22:17  
Blogger ARTEVIDA said...

Oi Zé meu amigo, irmão camarada, amigo de tantos caminhos e de tantas jornadas...
O que eu posso mais acrescentar além do que a turma aí de cima disse? EU ASSINO EMBAIXO!
Zé tu és fera em artes, literatura e teatro, queiras ou não tenho certeza que és um excelente ator e ainda vou assistir você atuando em seus personagens. Só não esquece da amiga aqui!
Parabéns pelo sucesso do roterio.
Parabénsao nosso amigo Can Robert Assis Brasil que consegue reportar de forma tão brilhantina para as peças teatrais o seu texto narrativo a moda willian shekspeare!

Sua amiga Vilmabel

21:14  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home