sábado, maio 10, 2008

Letras de música no tempo de os Secos & Molhados


Vídeo do YouTube: Sangue Latino e O Vira.

Vídeo do You Tube: Rosa de Hiroxima.

Secos & Molhados, Brasil, 1973, capa do primeiro disco.

Kiss, EUA, surgidos em 1973.

Esta postagem é fruto de troca de comentários e emails com meu colega e amigo Robson Freire, editor do blog Caldeirão de Idéias, atuando no NTE Itaperuna - RJ, enquanto eu atuo no NTE Rio Grande/18ª CRE. Além da tecnologia e educação, e de trabalharmos em núcleos de tecnologia educacional, eu e Robson somos da mesma geração, que nasceu e cresceu durante o regime de exceção, que impôs além da ditadura uma ferrenha censura a tudo que achava que poderia ser "subversivo", ou em muitos casos, que não entendia, já que censores supunham conter mensagens cifradas, subliminares em letras de música, textos teatrais, livros, artigos de opinião e toda uma produção artística e cultural. Algumas até tinham mesmo. Cálice de Chico Buarque é o exemplo mais cristalino.
Meu blog tem o nome de Letra Viva do Roig, pois quando estava em curso e tive que criar um pra interagir com tutores e colegas, na especialização em tecnologia educacional, foi o primeiro nome que me ocorreu, pois já tinha um jornal de mesmo nome. Letra Viva é uma forma de dar contexto aos textos aqui postados.
Quando escrevi a postagem "É proibido proibir" em dois tempos, destacando a música e letra de Caetano Veloso e as manobras de setores conservadores de, nas entrelinhas e de forma subliminar, de ir restaurando aos poucos a censura à imprensa e ao MP, voltei no túnel do tempo. Além da música citada, passei a ouvir um conjunto que teve carreira meteórica, chamado Secos & Molhados, formado em 1971, mas que iniciou carreira artística em 1973, vindo a se dissolver um ano após. Os integrantes - e principalmente o vocalista Ney Matogrosso -, passaram a ter carreira individual. Curiosamente, em 1973, nos EUA, surgiu a banda heavy metal Kiss, com visual muito similar ao conjunto brasileiro. Ainda hoje há polêmica sobre quem imitou quem... Vi tempos atrás, entrevista de um produtor norte-americano que disse ter convidado ao grupo brasileiro para fazer uma turnê nos EUA, querendo empresariá-los, desde que eles passassem a cantar em inglês e alterar algumas outras coisas; o que foi recusado. Não posso afirmar se tal versão é correta, pois não consegui localizar a entrevista. Independente disso, o que importa é que apesar da pintura no rosto ser semelhante aos dois casos, ambos os conjuntos musicais seguiram caminhos diversos, no início dos anos 1970, pois tinham público alvo diverso. Secos & Molhados cantavam a legítima MPB, e o Kiss o hard rock. Ambos, hoje, podem ser baixados pela internet suas canções e ouvidas em MP3, MP4, etc. Ambos tornaram-se lendas. Se analisarmos as letras do grupo brasileiro, como Sangue Latino, Flores Astrais, Rosa de Hiroxima (versão de uma poeta de Vinícius de Moraes) e outras, e compararmos com o que atualmente toca nas rádios, ipods, mp3, etc., oh que diferença! Eram poemas musicados. Hoje são ritmos dançantes, hipnóticos, com letras de uma aridez total, se comparadas aos clássicos da MPB. Eu, Robson, e todos aqueles que cresceram sob uma ferrenha ditadura, tivemos o privilégio de ter sobrevivido e adquirido um gosto e uma cultura que a maioria dos jovens da Geração MP3 desconhece. Desconhece tanto as músicas como a história do tempo que seus pais eram jovens que amavam os Beatles e os Rolling Stones. Já ouvi e li a tradução de músicas do rapper 50 cent e outros cantores do momento, dos mais variados gêneros musicais, que prefiro nem comentar... Mas tudo bem, sorte que a tecnologia e a própria educação podem fazer esse resgate histórico, artístico e cultural, trazendo do limbo letras e músicas como as acima destacadas. Viva a internet, o YouTube, e todos aqueles que compartilham mais do que arquivos de vídeo e som, mas emoções e recordações de um passado não tão distante assim... "É proibido proibir" foi o lema de uma geração. Qual o lema da atual?
Observação 1: Os vídeos acima, principalmente o primeiro Sangue Latino, nos primórdios dos anos 1970 são musicais gravados, que podemos dizer que se aproximam do que hoje chamamos de videoclipes.
Observação 2: As imagems abaixo dos vídeos, foram extraídas da internet, dos seguintes endereços:
http://www.mpbnet.com.br/musicos/secos.e.molhados/index.html (Secos & Molhados);
http://pt.wikipedia.org/wiki/Kiss (Kiss).

1 Comments:

Blogger Robson Freire said...

Olá querido amigo

Vi e revi varias vezes o vídeo de sua postagem e acabei mexendo naquela pilha de cds esquecidos pela falta de tempo e encontrei algumas perolas como uma musica do Carlos Santana chamada Samba Pa Ti, uma do Kansas chamada Dust in the wind e o mestre Eric Clapton tocando Wonderfull Tonigth. A do Santana é uma musica onde não se é pronunciada nenhuma palavra mas a guitarra e o ritmo latino fazem o que nenhuma musica hoje faz. Uma coisa que espero ter preservado na minha memoria musical é o prazer de ouvir boa musica enquanto escrevo. A musica tem um poder inspirador que somente o amor e capaz de ultrapassar. Parabéns pela maravilhosa volta no tempo e boas postagens regadas e boa musica ao amigo

20:28  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home