domingo, agosto 05, 2007

A Geração USB...


Montagem acima de Roig: A Geração USB

Imagem acima: JoseTelmo.com

Imagem acima: Cabo USB

Imagem acima: El Feto, de Patojv (DEVIANTart.com).

Idéias não são metais que se fundem, dissera alguém muito tempo atrás. Mas depende muito das idéias e dos objetivos... Numa brincadeira e terapia, resolvi fazer uma montagem no computador (usando apenas o paint brush), como fazia alguns anos atrás com recortes de revistas, usando somente tesoura e cola, sobrepondo figuras umas às outras. No caso acima, a primeira das 4 imagens é o resultado da combinação das três posteriores, e serve para ilustrar meu comentário, logo abaixo.

A Geração USB

Há três anos, trabalhando com informática educativa, tanto com a capacitação de professores da rede pública estadual, bem como alunos regulares e portadores de necessidades educativas especiais (cegos, surdos, deficientes mentais e altas habilidades/superdotação), em projetos de aprendizagem no NTE - Núcleo de Tecnologia Educacional - Rio Grande/18ª CRE, tenho percebido como professores e alunos vivem em universos paralelos, quando se fala da questão da informática.
O educador atual, na faixa dos 40 a 50 anos, é fruto de um modelo de sociedade que não existe mais... Que mudou radicalmente com a urbanização do país. Esses professores, quando crianças, tinham um contato tímido ainda com a televisão, que no Brasil só teve suas primeiras transmissões a cores na década de 1970. A programação era ingênua, e sob forte censura, os livros didáticos traziam o tal "estudo dirigido", a máquina datilográfica era uma exigência para o trabalho. Naqueles tempos, microcomputador, internet, celular, coisas baianais para a geração atual, eram coisas impensadas para o cidadão comum, ainda mais, vivendo abaixo da linha do Equador, e que viriam a ser os professores do amanhã. E o amanhã, que quando temos menos de 20 anos, custa tanto a passar, após a segunda década de existência escorre pelas mãos como numa ampulheta (relógio de areia, hoje peça de museu).
Agora, como brinco tanto com professores como alunos, a geração atual só falta nascer "conectada a um cabo USB" ao invés do cordão umbilical, tal sua ligação direta com a tecnologia de ponta (daí a idéia da criação da imagem acima). Como uma grande diferença. Enquanto seus pais cortavam às amarras do cordão umbilical, a Geração USB fica conectada por horas, literalmente, a fio (ou sem fio também, via tecnologia wireless) ao computador... A internet passou a ser a famosa 4ª Dimensão da Ficção Científica - um mundo paralelo onde os sonhos viram realidade. Chat's (salas de bate-papo), comunidades de relacionamentos, MSN, skype, e-mail (correio eletrônico) se incorporaram à vida das crianças e adolescentes mas rapidamente do que se esperava. A maiora quase que é alfabetizada pela TV, videogame, internet e computador bem antes de entrar na idade regular para ingressar na rede de ensino. Quando lá chegam os jovens, já trazem todo um padrão e comportamento novo. Ouço muitos pais (professores ou não), dizer que deixam para seus filhos menores mexerem em DVD, celular, mp3, computador, internet, câmara digital, filmadora, etc., por acharem complicados demais.
A bem da verdade, sempre digo: manual de qualquer produto eletro-eletrônico é feito por técnico e não professor, e nada tem de didático, muito pelo contrário. É feito de técnico para técnico. Mas a criança, que muitas vezes sequer saber ler, tem algo que quando passamos para o universo adulto perdemos e em alguns casos, jamais recuperamos: a curiosidade e a falta de receio em se aventurar. Vejo alunos que nunca tiveram acesso à informática manipularem um PC pela primeira vez com desenvoltura, apertando aqui e ali, para ver no que vai dar. Claro, muitas vezes conseguem é desconfigurar toda a máquina! Risos. Mas, não é pela experiência e erro, que se chega às certezas e incertezas da vida? Todavia, o adulto, diante de algo novo, muitas vezes trava mais do que a máquina, e não tem tecla RESET, nem comando control+alt+delete para reiniciar. Muitos desistem, dizendo ser a informática algo complexo, e que eles não são mais tão jovens assim para isso, e blábláblá...
Admiro demais aqueles que não deixam jamais a criança que existe dentro de si definhar... Que ousam e investem em seus sonhos... Que acreditam que a troca de experiências entre adultos e jovens pode ser o grande elo perdido da educação moderna. Professores e alunos precisam saber se conectar um ao universo do outro, e aprender a aprender juntos, pois se o aluno tem mais facilidade para a tecnologia, falta-lhe a experiência de vida e a maturidade para saber como utilizar de forma proveitosa e não apenas lúdica algo que pode ser um grande aliado da educação: a tecnologia. Desde que seja usada com critério, planejamento e acima de tudo com bom-senso, como uma ferramenta de apoio e nada mais. Sempre é bom lembrar que máquinas foram criadas à imagem e semelhança de outras máquinas e não do Homem, e existem apenas para serem manipuladas pelos seres humanos, e não o contrário...

2 Comments:

Blogger José Telmo said...

As novas gerações são os filhos da informação realmente. E nelas dependentes alimentando e sendo alimentadas em sua digitalização.

Ótimo texto Roig e grato por manter os créditos pela minha ilustração. Sucesso em seu blog.

17:20  
Blogger José Antonio Klaes Roig said...

Oi, José Telmo, tua imagem com alguns ajustes do cabo USB se presptou para uma eficiente ilustração de meu exto. Eu que agradeço pelo uso de tua imagem. Um abraço, Zé Roig.

19:46  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home