terça-feira, junho 23, 2009

A Geração Interativa


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=eLvwsqv3cFk

O video acima, publicado por mim originalmente no meu outro blog, o Educa Tube, foi indicação feita pelo twitter (http://twitter.com/educaredebrasil), do portal EducaRede Brasil, pertencente a Fundação Telefônica e encontra-se postado no blog EducaRede por aí.
Trata-se de dados interessantes e curiosos sobre o estudo do uso da informática pela chamada "Geração Interativa".

Segundo o estudo da profª Charro, da Universidade de Navarro, na Espanha: "O celular, por conta de suas características multifuncionais, será a tela digital do futuro para os jovens por poder ser levado a qualquer lugar".

Atualmente o aparelho celular é usado pelos jovens pra ouvir música, jogar e trocar torpedos. Quanto aos jogos, boa parte deles usa para ser outra pessoa ou ter acesso a outra realidade. 98% dos alunos entrevistas têm acesso a televisão e 56% possuem autonomia quanto a escolha do que vão assistir na TV.
O jovem de hoje é multitarefeiro.


Já discuti, aqui neste blog, essas questões sobre a multifuncionalidade e multifocalidade dos alunos, que os educadores conectados à essa nova realidade, poderão e deverão se integrar nos próximos anos, sob pena de tornarem-se o que colegas como Flávia Sampaio e Robson Freire denominam de "professauro", ultrapassado, vivendo num Mundo Perdido, querendo que os alunos viagem ao seu tempo e não fazendo justamente o contrário, vindo de Em Algum Lugar do Passado para o De Volta para o Futuro.
Entendo que cabe ao professor do futuro compreender essa multifuncionalidade que o aluno possui, mas falta direcioná-la para o ensino prazeiroso e a aprendizagem significativa e não apenas para o jogo e as relações sociais mediadas pela virtualidade.
Indico esse vídeo a todos os professores que desejem se conectar a esse novo mundo digital que cada vez mais se incorpora ao nosso cotidiano social.
Começo aos poucos a vislumbrar as inúmeras possibilidades que o aparelho celular, em especial, e as TICs, em geral, poderão proporcionar àqueles que não desejarem tornarem-se apenas "professauros".
O celular mesmo, com as funcionalidades de música, jogos, torpedos, poderá também com a opção da internet, televisão, câmera digital, proporcionar o que já comentei noutras postagens: um mecanismo de reprodução e produção de conteúdos educacionais entre professores e alunos, seja se comunicando a distância, seja filando e fotografando a prática educacional, dentro e fora da sala de aula, no laboratório de informática, na biblioteca escola, nas saídas de campo que se fizerem necessárias.
Porém, uma coisa é certa: o professor do futuro não poderá ficar aguardando apenas as experiências exitosas dos outros para fazer o seu control C (copiar) e control V (colar), deverá saber utilizar-se dessas práticas inovadoras, para também inovar em seu ambiente de trabalho, produzindo seu próprio conteúdo, a partir da realidade local.
Projetos, tipo "receita de bolo" em que se juntam ingredientes e modo de preparo feito por outros é bom na fase inicial de um processo de integração aos multimeios, mas depois, numa segunda fase, cada um deverá propor suas próprias atividades, que tornem a convergência entre máquinas e seres humanos uma realidade, nada artificial.
Se os jovens já se encontram integrados ás tecnologias, que os educadores também se integrem a esse processo dando uma significação educacional a essas ferramentas, além da questão do lazer.

Leiam também, o artigo abaixo, publicado no blog EducaRede por aí

Geração Interativa - brilhante, mas solitária

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home