sexta-feira, maio 08, 2009

Com... ciência tecnológica requer consciência pedagógica


Na educação não existe mágica e sim planejamento e execução de como passar o conteúdo programático pelo professor, através de metodologia, estrutura e didática adequadas, definindo objetivos gerais e específicos de cada disciplina. O aluno é ou deveria ser considerado o centro da escola e da educação...
Na educação, não existe (ou não deveria existir) a consciência tecnológica sem antes surgir a consciência pedagógica do uso da tecnologia no ambiente escolar. Ou seja, se o professor não planejar antes a atividade, não tiver um projeto com amparo teórico que sustente a sua prática, a tecnologia por si só será (praticamente) mais um complicador do que um facilitador... O jovem se dispersa se não há um fio condutor na atividade que lhe seja significativa. Há que, portanto, se delimitar antes e projetar depois a melhor forma de estebelecer uma comunicação entre a informação e o conhecimento no espaço informatizado.
Comparando a matemática com a informática, podemos dizer que as fórmulas matemáticas se comparam aos equipamentos tecnológicos, todavia a sua utilização adequada é que poderá gerar o conhecimento, pela manipulação eficiente dos dados que são processados pela memória para posteriormente gerarem uma resposta a uma indagação...
Mal comparando: é a luz no fim do túnel. Entretanto, o túnel é o próprio processo educacional que deve possibilitar a saída da escuridão (da desinformação) e a chegada à luz (do conhecimento)...
Na educação, a consciência do uso da ciência e da tecnologia de forma adequada, e não apenas por questões de modismo, deve ser estimulada pelo gestor, que deveria ser o primeiro a se integrar ao processo de inovação tecnológica e pedagógica; primeiro como cursista, depois como incentivador do corpo docente de seu estabelecimento de ensino, favorecendo os horários para que o colega possa se qualificar, dentro das possibilidades da escola, sem prejuízo do calendário escolar... O exemplo deve vir sempre de cima...
Digo isso, pois percebo que alguns usam o projetor multimídia (o famoso datashow) apenas para dar uma falsa modernidade à sua prática conservadora. Usam o equipamento para mostrar uma apresentação de slides de terceiro, como introdução, dinâmica de grupo, mas depois voltam a prática tradicional. Ao invés da folha mimeografada, da transparência no retroprojetor, agora muitos adotam uma apresentação de slides. E o curioso e paradoxal para quem espera ver algo inovador é que na maioria dos casos aparece apenas um show datado em um datashow... As mesmas frases feitas sem maior provocação ou reflexão sobre o contexto educacional...
O próprio video Metodologia e Tecnologia, que é uma bem humorada crítica ao uso banal da tecnologia no ambiente escolar, é reproduzido por muitos que não têm consciência de que são eles próprios o objeto da irônica crítica.
Pior é quando alguns que fogem de um microcomputador - como se estivessem diante de uma bomba-relógio prestes a explodir - acreditam que o computador, a informática e a internet resolvem tudo com um simples apertar de botões, de teclas, como num passe de mágica. Alguns chegam às pressas para pedir a um colega mais experiente algo para "ontem", como se a informática, que equivale a "informação + automática" fosse sinônimo de magia, de um piscar de olhos e tudo se resolverá... Dependendo da situação ou do recursos a ser utilizado, tudo poderá ser mais complexo que o meio convencional. Não importa o veículo e sim ea mensagem a ser passada.
A base da informática é mateMÁTICA e não a mateMÁGICA... No antigo teatro grego o deus ex machina era um recursos tecnológico da época para erguer os atores no palco para cenas de elevação espiritual, voos etc. No palco escolar há que se desmistificar o papel das TICs para aqueles que não querem usá-las por acreditarem piamente que é algo sobrenatural... É complexo? É! Viver também é muito mais complexo que usar um sistema operacional, pois requer que convivamos com pessoas com algoritmos diversos do nosso e nem por isso deixamos de conviver... Só aqueles com desvios em seus algoritmo é que saem por aí a querer "deletar" seus semelhantes.
A informática não faz mágicas, requer um conhecimento mínimo para a sua manipulação. Contudo, faz-se mais necessário ainda a plena consciência de qual significado terá aquela prática ao conteúdo a ser dado. Para usar algo de maneira superficial, melhor o método convencional mas bem elaborado... Conheço alguns educadores que conseguem até fazer mateMÁGICAS para e com seus alunos, usando ou não a tecnologia no ambiente escolar... Esses com certeza têm consciência do que são e do que fazem no ambiente escolar... Para essas pessoas a tecnologia é uma ferramenta de apoio, e como tal, precisa ser manipulada pelo usuário de forma consistente e consciente... Nem sempre "com ciência" pressupõe a consciência da metodologia e da didática a serem aplicadas em determinada ocasião.
A ideia deste post surgiu depois de assistir o vídeoclipe da banda Muse, intitulado Con-Science, um trocadilho com a palavra Science (ciência em inglês)... A partir daí, comecei a ter minha própria consciência a respeito da ciência e da tecnologia no ambiente educacional, juntando algumas impressões que eu já venho armazenando ou discutindo via blog, msn, orkut etc e também ao vivo com colegas e amigos...
Como especialista em tecnologias da informação e da comunicação na aprendizagem, cada vez que entro em blogs de amigos, colegas, leio novidades em curso ou em fase de implantação, chego a conclusão de que "eu sei que nada sei". Essa talvez seja a primeira fase que o educador deve ter (da consciência de suas limitações) caso pretenda usar às TICs, pois deverá ter isso em conta... De que precisa trocar informações que gerem conhecimento com outros colegas e até com os alunos, pois a cada dia outras parafernálias tecnológicas estão sendo inventadas ou em fase de elaboração... O aluno manipula bem os equipamentos, sem consciência de suas possibilidades além do trivial, do jogo, da brincadeira, do lazer...
Precisamos ter a consciência de que não dá pra querer dominar tudo, pois tudo está sempre em transformação, mas que se deve ter a sensibilidade (e consciência) do que melhor utilizar em sua prática escolar, não somente por ser novidade, e sim por ser significante para o educador e seus alunos dentro dos conteúdos e competencias daquela disciplina...
Alguns professores precisam deixar de ser ilhas isoladas e interagir como um arquipélago, conectando-se a outros colegas, dentro da escola e fora dela... As chamadas redes sociais e educacionais. Muitos estão tendo essa consciência. Sei que com a carga horária fechada, trabalhando muitas vezes em duas ou mais escolas, em dois ou mais turnos, com afazeres domésticos e familiares (se mulher, mãe, esposa...), há que se ter muita mais do que consciência. Requer tempo e espaço para estabelecer essas trocas. O gestor escolar e o público precisam ter a consciência de que o currículo escolar deve ser flexibilizado, que o diálogo deve ser incentivado, que é preciso criar um banco de dados de experiências existosas para estimular essas e novas práticas.
Sempre gosto de frisar que hoje tenho uma consciência do uso da informática e do uso dos multimeios, graças a essas trocas com colegas no mundo real e virtual. Que estou sempre aprendendo e que a atualização constante é uma necessidade.
Porém, mais do que se especializar em algo, há que o educador primeiro se conscientizar de que a ciência e a tecnologia no ambiente escolar é meio e não fim... É um meio de atingir uma finalidade. Que um laboratório de informática/sala de aula digital não mudará em nada a realidade de uma escola se ele não for utilizado de forma adequada, como centro de produção de conhecimento e não como reprodução de prática conservadoras travestidas de modernas por causa do ambiente em si. O educador precisa se conscientizar-se que nesse espaço diferenciado a aprendizagem ocorre igualmente de forma diferenciada, e que o professor deve mudar em parte a sua postura, permitindo que os alunos possam interagir não apenas com a máquina, mas com o próprio educador e com os colegas ao lado, levantando e sentando a todo instante, uns ajudando aos outros... Que o professor não precisa ser um tecnólogo, mas um mediador, orientando as atividades ou projetos sem a necessidade de tornar-se um expert. Que delegue aos alunos as tarefas de monitoria com os colegas.
Todos devem estar conectados a um mesmo objetivo: o processo de ensino-aprendizagem. Eis aí a rede lógica de uma lógica de ensino-aprendizagem em rede... Quando temos a consciência de nosso papel na sociedade o próprio ato de viver em rede fica melhor estruturado, do ponto de vista educacional, tecnológico e social...

Observação: Imagem acima, extraída da internet, do endereço abaixo
http://www.neuronbrasil.com.br/news1/pg03.html

3 Comments:

Blogger Robson Freire said...

Olá Querido Amigo

Que belo texto. Gostei muito e por isso já recomendei aos meus pares por aqui a leitura para que já na segunda reflitamos com o seu texto.

E exatamente isso precisamos rever vários conceitos e aplicações no ensino médio. Por isso sou defensor intransigente da reforma.

Ensinar o professorado "das antigas" a saltar de Bumping Jumping (pois vai ser assim que eles vão se sentir) vai ser difícil, mas que essa transformação vai gerar muita confusão e vai encontrar muita resistência, ah meus amigos não duvidem, mas na minha humilde opinião esse é o único caminho para a redenção do ensino médio.

Pois afinal o sistema educacional atual já deu o que tinha que dar.

Deu em Nada.

Abraços

Em tempo: Vou te recomendar dois vídeos muitos bons:

http://www.youtube.com/watch?v=e50YBu14j3U e se der veja esse também http://www.youtube.com/watch?v=HV29xUVqc6I

e

http://www.youtube.com/watch?v=mUZrrbgCdYc

15:06  
Blogger José Antonio Klaes Roig said...

Oi, Robson, adorei os vídeos e colocarei no blog Educa Tube, como tuas indicações. A questão da consciência em qualquer atividademseja tecnológica ou não, é essencial para que a atividade tenha sentido ao aluno e não apenas oa professor... Obrigado pelo comentário. Um abraço, amigo.

17:42  
Blogger Taibai Li said...

huangqihang0529toms shoes
oakley sunglasses wholesale
pandora jewelry
true religion jeans
gucci uk
true religion outlet
ralph lauren uk
burberry handbags
tory burch outlet online
ray ban sunglasses
michael kors
kate spade uk
chanel bags
jordan shoes
chanel online shop
cheap oakleys
chanel handbags
tory burch handbags
coach outlet
michael kors bags
prada outlet
rolex watches
coach factory outlet
christian louboutin outlet
kate spade outlet online
cheap oakley sunglasses
hollister clothing
oakley sunglasses
hollister clothing store
abercrombie
tory burch shoes
nike air max
ray ban outlet
burberry outlet
q

05:57  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home