terça-feira, agosto 19, 2008

Olimpíada de Língua Portuguesa em São José do Norte


Tive o privilégio de ser convidado pela equipe diretiva do Instituto Estadual de Educação São José, do município de São José do Norte (extremo sul do RS), onde vivi até os 18 anos, para participar da comissão julgadora dos trabalhos a serem encaminhados para a 1ª Olimpíada de Língua Portuguesa do MEC, evento semelhante à Olimpíada de Matemática, do Ministério da Educação.
Sou ex-aluno do Instituto São José. E por lá comecei a escrever e mostrar meus primeiros escritos a colegas e professores. Assim sendo, foi uma enorme satisfação, como escritor, poeta e educador poder participar junto à comissão julgadora da escola, do processo de seleção dos textos dos alunos.
A Olimpíada de Língua Portuguesa envolve 3 categorias:
I - Gênero Poesia: 4ª a 5ª séries do Ensino Fundamental ou 5º e 6º anos do Ensino Fundamental de Nove anos;
II - Gênero Memórias: 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental ou 8º e 9º anos do Ensino Fundamental de Nove anose, e
III - Gênero Artigo de opinião: 2º e 3º anos do Ensino Médio.
Pude avaliar e perceber uma boa quantidade de textos nos 3 gêneros, junto aos demais integrantes da comissão: a diretora Neide e os professores de português Neromar, Adriana e Léia. Foi muito gratificante para mim, diante da diversidade de trabalhos, poder perceber que alguns deles - embora não tendo sido selecionados, por não estarem dentro dos critérios de avaliação e das atribuições de cada gênero, ainda assim -, demonstram que seus autores, se adquirirem maior bagagem cultural, através do hábito da leitura, poderão no futuro render bons frutos e quiçá premiações.
Aos trabalhos e autores selecionados, os meus parabéns. E a mensagem de que se não foram selecionados agora, que continuem o exercício da leitura e da escrita, e quem sabe noutra oportunidade possam obter sucesso. Afinal, como é senso comum, não existe um bom escritor sem antes ter um grande leitor, não apenas de livros, mas de mundo.
Meus conterrâneos têm me possibilitado manter os vínculos afetivo e cultural com a cidade que me viu crescer e que ajudou e muito na construção da minha personalidade. Ano passado, tive também o privilégio de ser o primeiro patrono da Feira do Livro da cidade, em sua 16ª edição, uma experiência inesquecível e gratificante. Agradeço também ao professores que integraram à comissão julgadora, pela agradável companhia e as relevantes discussões para a escolha dos textos inscritos. E parabenizo às professoras Marta, Maria Nobre e demais educadoras que contribuiram para a produção dos referidos textos, através de palestras, visitas e outras atividades extraclasse.
Como conterrâneo, ex-aluno do I.E.E. São José, além de escritor e educador, digo que manter as raízes e voltar às origens é sempre um momento de reflexão e inspiração. Grato, mais uma vez, pela indicação e reconhecimento de meu nome para um evento de tal relevância artística, educacional e cultural.
Observação: Imagens acima, quadros de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, artista plástico de São José do Norte e meu pai, que retratou um dos mais belos casarios coloniais da região, que infelizmente só existe na obra e memória visual do autor. Como alguns artigos de opinião dos alunos trataram da questão do patrimônio histórico e mencionaram o referido casarão, resolvi ilustrar esta postagem com o mesmo. As imagens acima, encontram-se no blog Olhar Virtual , criado por mim em 2006 para divulgar vida e obra de meu pai.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home