quarta-feira, dezembro 26, 2007

Futebol virtual no microcomputador


Acima, vídeo de meu 1º gol, feito no jogo para PC FIFA 2007, e adicionado ao YouTube. Algumas de minhas paixões, além da literatura e da educação, são o futebol e a informática, e poder unir as duas coisas sempre é algo que ajuda a dessestressar da rotina diária de trabalho, estudo e tudo mais... Recentemente instalei a versão do jogo FIFA 2007 para computador, e depois de voltar a me acostumar com os comandos e botões do joystick, acabei fazendo meu primeiro gol virtual que filmei o replay com a câmera digital. Ah, estou jogando com o time de verde.
Confesso que de todos os games para PC ou consoles, tipo Playstation, Nintendo, etc., o que mais me chama a atenção é o que simula o "maior espetáculo da Terra", depois do Carnaval, que é justamente o futebol. Contra o microcomputador, modéstia a parte, sou um craque... Risos... Mas contra seres humanos, e se forem mais jovens que eu, xiiii, não passo de um "perna-de-pau", um "cabeça-de-bagre" e outros adjetivos usados contra jogadores reais que maltratam a bola... Risos. Depois de um tempo sem jogar, já que tinha outras prioridades em 2007, voltei aos gramados digitais, enfrentando, semana passada, meu cunhado Jéverson (19 anos mais novo que eu), lá na praia do Mar Grosso, em São José do Norte-RS-Brasil, onde meus pais residem há 30 anos. Nos dois primeiros jogos, 2 honrosos empates, e nestes 1 vitória e 1 derrota nos penaltis. Depois, levei uma sonora goleada, que esqueçamos de comentar o placar. Risos.
Ontem, dia de Natal, na casa de praia dos tios de minha esposa, na praia do Cassino, em Rio Grande-RS, enfrentei um duro adversário, o primo da Bete, chamado João, que têm em torno de 10 anos de idade. De novo a história se repetiu. Resisti ao primeiro jogo, perdendo por 3x2 a penas, mas há duras penas e dedos doendo (risos). Mas nos outros dois, duas sonoras goleadas de 4x0 e 6x0, sendo que a última partida para "garantir" esse placar, acabei tendo expulso 4 de meus jogadores virtuais. E olhem só a coincidência: meu carrasco digital, tanto contra Jéverson como João, foi o jogador Cristiano Ronaldo, escolhido o segundo melhor jogador do mundo pela FIFA, no mundo real. Cristiano Ronaldo, o craque português, perdeu o posto de nº 1 apenas para nosso Kaká, que em 2007 foi exuberante, e mereceu o título de melhor jogador do mundo (no mundo real).
Essa postagem, na verdade, é para comprovar o que sempre digo, o jovem domina melhor a máquina que o adulto, mesmo que esse adulto, com 4.3 de memória RAM e idade (risos) seja especialista em tecnologia educacional. Trazer o jovem para o lado pedagógico da vida digital é possível, desde que primeiro adentremos em seu universo, saibamos suas gírias, suas idéias, seu jeito de ser, para com isso, utilizando um referencial teórico adeqüado (e eu, utilizo o construtivismo, e os conceitos da aprendizagem significativa e da flexibilidade cognitiva), possamos desenvolver projetos de ensino-aprendizagem, levando em conta o conhecimento e habilidades prévias que o aluno já traz de casa. Feito isso, a aprendizagem será de fato significativa para ambos e a flexibilização do conhecimento será possível, flexibilizando a forma de abordar o conteúdo, da teoria à prática. Como sempre com ento: o professor deve dominar a pedagogia do exemplo e trazer o aluno para ser seu monitor quanto ao uso da tecnologia no ambiente escolar. Nas férias, entre um ensaio e outro a ser escrito para o mestrado em História da Literatura, irei jogar um pouco de futebol virtual e de praia para desestressar. Risos.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home