domingo, agosto 19, 2007

Vocé é aquilo que faz, não o que diz...

A frase acima, título dessa postagem, foi extraída das palavras da menina (na época da Eco 1992, video indicado na postagem abaixo desta) Severn Suzuki, referindo-se ao comentário de seu pai. Se levarmos ao pé-da-letra essa frase, quem afinal nesse mundo de pessoas que falam demais sem nada dizer - tenham microfone à disposição ou não - e outras que se calam, tendo tanto a contribuir, realmente faz o que diz? E quem faz o que diz fazer? Quando ligamos a TV, vêmos discursos e mais belos discursos "desplugados" da prática e do mundo real. Sabemos de antemão, como diz o prof. Ladislau Dowbor (PUC-SP), que descobrimos as mazelas de um país ou região somente quando do horário eleitoral, onde todos parecem saber de tudo e ter projetos para resolver tudo. Depois, ... Como Cinderela, volta-se a ser Gata Borralheira, e carruagem vira uma abóbora selvagem.
Eu, particularmente, tenho como lema as palavras de Jefferson (o Thomas, não, de forma alguma, o Roberto!), quando disse: "Sempre que você fizer algo, mesmo que ninguém jamais venha a saber, faça como se o mundo estivesse olhando para você". Não creio que o ex-presidente norte-americano, quando proferiu essas palavras, lá pelo final do século XVIII, tenha profetizado programas de Reality Show, que invadem ou não, a privacidade alheia, com suas mil e uma noites e câmeras. Hoje, todos agem como se estivessem sendo filmados para alguma "pegadinha" ou Big Brother qualquer. Não é esse o espírito da frase de Jefferson, com certeza. Referia-se ele, não ao espírito de corpo (o corporativismo) que tomou conta de instituições e pessoas, mas ao espírito de solidariedade e de eterna vigilância, de ser fiel ao que diz e faz - esteja vigiado ou não. O verdadeiro vigia é a nossa Consciência.
Hoje, palavras são ditas por dizer, sem o comprometimento entre o dizer e o fazer. Que o vídeo da menina Severn - que deve estar hoje com seus 25 anos de vida - nos sirva de lição constante: antes de falar sem pensar, pense no que diz, e ao dizer, busque com todas as forças cumprir o que foi dito e/ou escrito, para que tudo não seja apenas "belas palavras ao vento ou escritas na areia de uma praia, onde o mar seguido vem visitar e apagar"... Há muito tempo deixei de usar corretivo, tipo Errorex: errei, assumo o erro...
Aprendi com a vida, e com as palavras de grandes escritores, que devemos sempre dar um passo de cada vez, indo em direção ao nosso horizonte particular. De nada adianta correr se não se sabe para onde está indo... Melhor, ou invés de buscar atalhos, como a atual geração - que vive em depressão por querer antecipar vivências -, deixar as coisas acontecerem ao natural. Às grandes coisas da vida estão contidas na simplicidade e não nos megaprojetos, em obras faraônicas, que até hoje se admira, mas não se sabe ao certo qual a utilidade e praticidade. Esse é meu projeto de vida e de trabalho: viver cada dia de forma simples mas bem feita, acumulando amigos, colegas, parceiros de projetos e conhecimento, compartilhando com todos experiências nesse grande jogo Lego que é a vida, onde tudo acaba se encaixando, quando se tem um bom e simples planejamento. Onde ninguém constrói nada sozinho e sim, em boa e fraterna equipe.
Observação: Imagem acima, refere-se a versão para jogo Lego do quadro de M.C. Escher, Relatividade.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home