quinta-feira, novembro 15, 2007

A iconosfera e a tecnologia educacional

Participando de forum do Curso de Mídias Integrados à Educação - Ciclo Intermediário - Turma Sul/Norte (UnB), cujo o tema principal é TV e Vídeo: desenvolvendo projetos audiovisuais educativos, e lendo o farto material, me deparei com um termo que desconhecia, chamado ICONOSFERA. Ou seja, o mundo de imagens que a atual geração está vinculada, desde jogos, vídeos, programas, softwares, etc, em que o apelo visual é maior que os demais. Como consta em um dos textos disponibilizados aos cursistas: "(...) para que se seja capaz de preparar o aluno para viver no universo das imagens, na iconosfera, e também para formular planos curriculares sensíveis à realidade desse universo particular, torna-se necessário investir na formação dos profissionais engajados nessas práticas. Mas não basta o contato com as tecnologias existentes, conhecer as técnicas de sua utilização. O mais importante é fazer uma utilização crítica desses aparatos e de suas linguagens, para que se enriqueçam as práticas pedagógicas". E nessa discussão, a colega Sônia propôs uma reflexão que achei interessante me engajar. Perguntou ela: "Eu tenho uma grande preocupação e quero desde já dividi-la com o grupo. Pesquisas apontam que a inserção de novas mídias (computadores) na escola tem PIORADO a educação. Ou seja, os alunos que usam computadores, sabem menos matemática, português, etc. Isso é sério! O computador parece estar sendo, não um aliado à aprendizagem e sim, "um brinquedo a mais". O que nós vamos fazer com isso? Suscitar uma nova pesquisa para confrontar dados? Calar?"
Eu respondo que também tenho essa preocupação de que a inclusão digital tenha sentido e significado para os dois pólos educacionais: professores e alunos. E confesso que é uma preocupação pertinente pois a máquina, por mais potente e sofisticada que seja, nada faz além do que receber e pôr em prática comandos. Sabemos que a TV e o vídeo, em boa parte das escolas têm um aspecto recreativo e nem tanto pedagógico, e o computador não fugirá a regra, por ser um equipamento apenas. Se a escola não tiver um projeto de inclusão digital bem definido, organizado pela equipe diretiva e professores interessados nessa nova proposta, o que ocorrerá é o que já sabemos de antemão: projetos individuais de educadores dedicados, capacitados e interessados darão a falsa impressão de ser uma iniciativa da escola, quando na verdade pode ser apenas de um educador. Se a escola não se inclui no debate, e deixa a cargo de cada um, não haverá uma inclusão digital eficiente, e sim uma eficiente proposta individual que dará respaldo a uma instituição. Penso que o processo educacional de inclusão digital, bem como de todo tipo de inclusão escolar, é feito muitas vezes na contramão: são incluídos pessoas e equipamentos no ambiente escolar, antes mesmo da capacitação e da discussão de como fazer bem feito essa inclusão. Educação não é auto-escola. E até lá, não se dá o veículo primeiro, para depois dar o treinamento. Essa atitude me lembra crítica feita pelo escritor, poeta e historiador literário Ronald de Carvalho, no jurássico ano de 1919, em seu livro Pequena História da Literatura Brasileira onde dizia , em outras palavras, que havia em nossa cultura muita improvisação e pouco planejamento a longo prazo. Planejar é preciso. Senão a informática vira mesmo "um brinquedo a mais". Se o computador e toda a mídia não tiver um planejamento eficiente, com certeza, mais atrapalhará do que ajudará a prática escolar. Melhor então investir na biblioteca escolar, que apesar de não ter o apelo visual, leva o aluno a exercitar à imaginação.
Como declarou Pier Cesare Rivoltella, filósofo e especialista italiano em Mídia e Educação da Universidade Católica de Milão, em entrevista a Revista Nova Escola, ed. nº 200, mar/2007, p. 15-18, o professor moderno pode ser um mídia educador, mas para isso, deve haver uma equipe de planejamento e outra de produção, o que sabemos de antemão envolve tempo e recursos humanos e financeiros, tão raros de obtenção. É o paradoxo da modernidade: muitos educadores sabem e querem fazer a diferença, mas não tem condições ideais de pôr em prática suas idéias. Os que conseguem tal "façanha" são os educadores multifuncionais (que acumulam diversas funções numa escola), e que se dedicam além de suas atribuições e carga horária. Não podemos exigir deles tal dedicação sem o mínimo de infra-estrutura. Esses fazem a diferença, não raras vezes, por desprendimento pessoal, mais do que por projeto de escola e/ou de governos. Penso que a equipe diretiva deve ser a locomotiva de todo projeto escolar inclusivo, com o uso dos multimeios ou não. E se isso fizer, aí sim, os demais vagões se agregam ao processo em curso.
Quanto a calar. Jamais, se nossos projetos de trabalho são extensão do projeto maior de vida, e se acreditamos na educação de qualidade. Parafraseando o grande "filósofo contemporâneo da juventude transviada", Jean-Claude Van Damme (sic): "Retroceder, nunca; render-se jamais". Risos.
Eis curiosa reflexão: "(...) hoje, pensar em um cidadão que não tenha a necessária participação tecnológica é pensar em um cidadão alienado e sem a possibilidade de entender em que sistema econômico ele está vivendo ou sobrevivendo". (MEHEDFF, 1996: p.147)
Observação: Imagem acima, extraída da internet, do endereço
http://farm1.static.flick.com

2 Comments:

Blogger chenyingying9539 9539 said...

2015-7-13chenyingying9539
christian louboutin shoes
abercrombie store
ray ban sunglasses
adidas shoes
louis vuitton uk
jordan 8s
michael kors outlet
michael kors
louis vuitton
michael kors outlet
hollister clothing
louis vuitton
marc jacobs
kate spade outlet
lebron james shoes 2015
michael kors outlet
michael kors handbags
louis vuitton
nike air max
burberry outlet
coach factorty outlet
cheap oakley sunglasses
michael kors
michael kors outlet
hollister clothing store
prada shoes
lebron james shoes
burberry outlet
jordan 3s
chi flat iron

04:21  
Blogger dong dong23 said...

asics shoes
jordan retro
toms shoes
gucci outlet
hollister kids
michael kors handbags
louis vuitton
adidas superstar
tory burch outlet
michael kors outlet
coach outlet online
nike huarache shoes
nike air force 1
ray ban sunglasses
louis vuitton handbags
coach outlet
nike blazers
nike air force
michael kors outlet
ray ban sunglasses
coach factorty outlet
kevin durant shoes 8
louis vuitton handbags
michael kors outlet
coach outlet store online
longchamp handbags
coach factory outlet
louis vuitton handbags
replica watches for sale
hollister outlet
burberry outlet
designer handbags
toms shoes
caoch outlet
ugg outlet
air jordan 13
christian louboutin outlet
gucci handbags
louis vuitton handbags
michael kors handbags
20164.18wengdongdong

00:31  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home