sábado, abril 21, 2007

O Mundo Como Eu o Vejo

De uns tempos pra cá, tenho comentado com amigos, colegas e conhecidos as estranhas coincidências comigo, em relação ao número 7. Nasci em 7/7/1964. Se somados todos os algarismos, isso uma amiga me ensinou, dá o número 34 (7+7+1+9+6+4=34), que somado 3+4= 7. Nunca dei bola pra isso, até que o sete começou a repetir-se (será que eu comecei, como a amiga disse, a nota e anotar sua aparição?) com frequência... Chegou ao cúmulo de um passeio que acompanhei minha esposa e duas turmas de 7ª série (71 e 72) da E.M. Sant'Anna (Rio Grande), ao Museu de Ciência e Tecnologia da PUC-RS, em Porto Alegre, há uns 3 anos atrás, perceber no meio da viagem, que a placa do ônibus era 7271, e o mais incrível: ao final da viagem, quando chegamos em casa, ao verificar a carteira, tinham sobrado exatos sete!!! reais...
Claro que não saí apostando em tudo, tipo aquela piada: "O sujeito cismava justamente com o sete, e num 7/7, de 1977, foi no sétimo páreo e jogou no cavalo número 7. Não deu outra: ficou em sétimo lugar!!!" Brincadeiras a parte, o que motivou essa postagem, foi a coincidência com a anterior. Por alguns detalhes que vou agora revelar...
Vejam só, em 20/03/2007, exatos um mês e um dia, postei em meu outro blog Control Verso (http://controlverso.blogspot.com), onde coloco poemas, crônicas e imagens (colagens) de minha autoria a poesia intitulada O MUNDO COMO EU O VEJO, inspirada na leitura inicial do livro de Albert Einstein, chamado COMO VEJO O MUNDO, adquirido num sebo. Durante semanas aquele livro ficava exposto na porta envidraçada do sebo me olhando e eu olhando pra ele, até que um dia resolvi ntrar e comprá-lo. Sua leitura interrompida por causa da especialização em tecnologia educacional e do mestrado em História da Literatura, além do trabalho no núcleo de tecnologia educacional, que tem me impedido de leituras que não as para as atividades do momento. Coincidência ou não. O projeto Abrindo os Olhos (comentado na postagem anterior) era tudo que o Projeto de Informática na Educação Especial (com 80 alunos portadores de necessidiades educativas especiais: surdos, cegos, com baixa visão, deficientes mentais leves e superdotação/altas habilidades), coordenado por mim, com apoio da profª multiplicadora do NTE/18ª CRE Janaina Senna Martins e 08 professoras da Educação Especial da Escola Estadual de Ensino Fundamental Barão de Cêrro Largo, em Rio Grande-RS-Brasil, desejaria ter: um apoiador de peso, que investisse como a IBM fez, principalmente no que tange a uma impressora braile, que seria de muita valia para nossos alunos cegos, atendidos em classe de recursos, pela profª Nirlei, que é uma das apoiadoras, junto a mais 7 outras dessa iniciativa de inclusão digital e social. Olha o sete ai de novo.
Atualmente, nosso núcleo esta bem equipado, devido a remessa pela CATE - Central de Apoio Tecnológico á Educação, setor vinculado ao Departamento Pedagógico da Secretaria Estadual da Educação do Rio Grande do Sul, que nos enviou em 2006, 15 máquinas novas (Pentium IV). Recebemos também do MEC 10 máquinas novas Pentium IV, mais uma impressora a laser, para um segundo laboratório de informática, para capacitação de professores da rede pública estadual, com a informática educativa, e com projetos de aprendizagem que esse professores queiram executar, utilizando esses laboratórios.
Coincidência ou não, aprendi que tudo na vida tem o seu motivo, ainda que no primeiro momento não o compreendamos. Nunca aquela expressão: males que vem pro bem, é sinônimo de superação, quando se trata com PNEEs, vendo seu esforço, dedicação e afabilidade, ainda que alguns tenham limitações, ou sejam cegos, como Luize Dorneles, nossa instrutora de Dosvox, que foi nossa apoiadora em 2006, ensinando-nos a usar esse software desenvolvido e disponibilizado gratuitamente na internet pela UFRJ. Luize, em 2007, não poderá ser nossa monitora, pelo fato de que conseguiu um emprego, de telefonista, numa imobiliária.
Não importa como vemos (ou não) o mundo, mas sim como o mundo nos vê. Desde que recebi de um amigo, num cartão de felicitações uma citação do ex-presidente dos EUA, Thomas Jefferson, tal frase abaixo tornou-se um lema de vida pra mim. E quem sabe por isso, consiga sempre apoio voluntário (que sequer me enxargam, mas vêem a dedicação com que encaro a vocação de educador) a projetos de trabalho que são também de vida, num mundo tão dominado pela competição e tão ausente do espírito de solidariedade. Eis a frase-lema:
"Sempre que você fizer algo, mesmo que ninguém jamais venha a saber, faça como seu o mundo estivesse olhando para você." Thomas Jefferson
Coincidência ou não, essa frase coloquei em 2005, na primeira apresentação que fiz do projeto de informática na educação especial, ainda na escola, e desde lá, todos os envolvidos nesse projeto, temos colhido os frutos e os apoios de pessoas que pensam como nós... É possível ver o mundo com "outros olhos", que não aqueles do noticiários de TV... Onde as notícias relevantes são dadas em conta gotas e os Reality Shows têm espaço em horário nobre, ad nauseaum, ad infinitum...
Essa frase de Jefferson (não o Roberto, mas o Thomas, óbvio, desculpem-me o trocadilho) também é epígrafe de um conto meu, intitulado Um convidado para o jantar, inserido no meu primeiro e único livro publicado, em 2004, chamado Realidade Virtual, escrito em 2000, quando nem imaginava trabalhar com informática educativa. Coisas da vida. Hoje, o projeto de informática na educação especial é uma realidade, nada virtual.
Observação: DOSVOX, é um software que esta disponível para download gratuito na página: http://intervox.nce.ufrj.br/dosvox/.
O Projeto Dosvox foi desenvolvido pelo NCE - Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (http://www.nce.ufrj.br/), e trata-se de sistema operacional, conforme consta no site, "que permite que pessoas cegas utilizem um microcomputador comum, desempenhando uma série de tarefas, adquirindo um alto nível de independência no estudo e no trabalho".

1 Comments:

Blogger Gládis Leal dos Santos said...

Olá José Antônio,

Dando uma conferida por aqui...
O trabalho com Informática Educacional é mesmo apaixonante. Estou há seis anos coordenando esta área na escola e me sinto muito motivada e realizada.

Abraços e sucesso !
Gládis

09:45  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home